SUBGRUPOS DOR CERVICAL
dor-cervical-controle-da-dor-icone
Subgrupo Controle da dor

O subgrupo de controle da dor tem duração de 7 a 10 dias e é formado por pacientes que apresentam um quadro álgico extremamente agudo com início recente de sintomas geralmente há menos de 10 dias, com limitação extrema da ADM, apresentando pontuação na escala visual analógica de dor entre 7 e 10 e pontuação do questionário NDI acima de 52 pontos, demonstrando uma grande incapacidade funcional. Nestes pacientes, o exame físico geralmente é inviável referente à mensuração da ADM ativa e passiva, testes provocativos etc., ficando impossível realizar uma classificação do ponto de vista mecânico. Nestes pacientes, a abordagem é realmente o controle e a diminuição dos sintomas de irritação tecidual. A abordagem atual é utilizar a prática baseada em evidência, portanto, a utilização de intervenções fisioterapêuticas que atuem na modulação da dor, no processo inflamatório, no espasmo e contratura muscular protetora. Hoje, temos três abordagens que apresentam efeito terapêutico acima do placebo e com evidência nível 1 de efeito terapêutico: laser de baixa potência, acupuntura e o TENS. Basicamente, o objetivo principal é a modulação da dor através de ativação do mecanismo das comportas, liberação de substâncias antálgicas pelo sistema nervoso central, seja pelo sistema opioide e não opioide e diminuição de velocidade de condução de nervos aferentes periféricos. Importante nesta fase o fisioterapeuta observar a postura mais antálgica possível do paciente no qual pode variar entre indivíduos e também se houver comprometimento radicular. Em caso de radiculopatias severas, as posições de decúbito ventral e decúbito dorsal serão inviáveis, necessitando acomodar o paciente em decúbito lateral com travesseiro de média a alta espessura para evitar inclinação lateral em direção ao lado acometido e o paciente posicionado com o lado sintomático para cima. Outra posição em casos extremos como relatado neste subgrupo é a posição sentada, posição que está relatada frequentemente por pacientes que a adotaram para dormir pela impossibilidade de ficar em decúbito dorsal devido possivelmente a perda da extensão cervical e devido à compressão do forâmen intervertebral ou canal vertebral. Adicionalmente, prescrevemos colar cervical de espuma por até 4 semanas para conforto do paciente, pois demonstrou ter eficácia clínica em um estudo clínico prospectivo randomizado realizado em pacientes com radiculopatia cervical, com o mesmo nível de contribuição de sessões formais de fisioterapia.

controle-da-dor

CONHEÇA OS SUBGRUPOS
DOR CERVICAL

Subgrupo Manipulação
Subgrupo Centralização
Subgrupo Exercícios
Subgrupo Cefaléia Cervicogênica
Subgrupo Dor Crônica
Subgrupo Controle da Dor

CONHEÇA OS SUBGRUPOS
DOR CERVICAL

Subgrupo Manipulação
Subgrupo Centralização
Subgrupo Exercícios
Subgrupo Cefaléia Cervicogênica
Subgrupo Dor Crônica
Subgrupo Controle da Dor