Tenho dor nas costas

Dor nas costas há mais de 3 meses?

Se você teve uma dor nas costas que durou por algumas semanas ou dias e já voltou para as suas atividades normais, a sua dor seria classificada como aguda. Ela pode ter cessado naturalmente ou você pode ter passado por algum processo de reabilitação ou terapia para resolver o problema.

Mas, se esta dor já persiste por mais de 3 meses, ela é classificada como dor crônica e, na grande maioria dos casos, não é mais a lesão em si que está provocando esta perpetuação.

Significa que o seu cérebro continua produzindo dor para você, mesmo que a sua saúde física esteja reabilitada e fora de perigo. Uma vez que o risco maior esteja descartado, seria simples desligar esta instrução no cérebro, mas não é bem assim que funciona. A dor crônica tem mais relação com a sensibilidade do sistema nervoso e do que com a integridade e funcionamento dos tecidos do seu corpo.

A dor crônica representa um problema mundial, pois leva as pessoas a se afastarem do trabalho, causando impactos, inclusive na economia. Estima-se que 30% da população tenha dor crônica!

Então, como resolver a dor crônica?

Em palavras mais simples, é necessário retreinar o cérebro e o sistema nervoso, levando em consideração tudo o que possa estar contribuindo para a experiência da dor. É necessária uma abordagem biopsicossocial para solucioná-la.

O uso de medicamentos pode ser útil? Sim, até certo ponto, mas isso não irá retreinar o seu cérebro. Os medicamentos auxiliarão na amenização do sofrimento gerado pela dor, mas não impactarão na raiz do problema. E a dor pode voltar!

Todo o seu estilo de vida pode estar associado a perpetuação da sua dor. Enumeramos a seguir algumas mudanças que podemos promover em nossas vidas para resolver a dor crônica.

1) Reduza os níveis de estresse

Reduzir o estresse e relaxar o sistema nervoso é a primeira ação efetiva contra a dor crônica.

Quando falamos de dor crônica, é importante considerarmos como os pensamentos e emoções afetam o sistema nervoso. A dor nas costas realmente impacta a vida das pessoas e isso pode ter um grande efeito sobre os níveis de humor e estresse.

Todos os seus pensamentos e crenças também estimulam o cérebro. Cultivar pensamentos positivos, buscar bons relacionamentos, conviver com amigos e fazer a sua parte na comunidade são hábitos que representam uma grande ajuda neste processo.

Por outro lado, é muito importante buscar o autoconhecimento para realizar atividades que nos dão prazer. Muitas vezes, onde há prazer e satisfação, não há dor!

2) Cuide de sua alimentação

Uma alimentação balanceada, com menor presença de gordura e açucares auxiliará na harmonização da sua saúde como um todo, impactando na sensação de bem-estar. Incluem-se nestes cuidados, claro, a redução no consumo de álcool.

3) Não fumar

Além de tantos outros males, sendo o principal fator de risco para o câncer, por exemplo, o tabagismo é um dos elementos que contribuem para a dor, principalmente, da coluna. Fumantes são mais propensos a apresentarem dores da costas, pois a nicotina prejudica o fluxo de sangue na microcirculação dos discos intervertebrais, facilitando sua degeneração.

4) Pratique atividade física

Todos sabemos dos benefícios físicos e emocionais da atividade física. Mas, quando há dor crônica, é importante movimentar-se em níveis confortáveis, evitando o medo da dor, e consequentemente o estresse.

Desta forma, o corpo se desenvolve ao mesmo tempo que o cérebro aceita e se adapta a ausência da dor.

Solucionar a dor crônica pede uma exploração mais profunda na sua história pessoal, nos seus hábitos e no significado da dor para você. Olhar para o que estava acontecendo na vida na época em que a dor se desenvolveu, ajuda o cérebro a fazer conexões entre um período específico da vida e um estado de piora da dor.

Quando vista de uma perspectiva mais ampla e global, o tratamento da dor crônica apresenta muitas oportunidades de sucesso!


Leia Também

2019-01-05T13:12:07+00:00